Vende-se ou vendem-se casas? / Precisa-se ou precisam-se de ajudantes?

1- Existe concordância verbal quando o verbo é transitivo direto. Por exemplo, vender e comprar.

Assim:

Vende-se casa.  /  Compra-se jornal velho.

Vendem-se casas.  /  Compram-se jornais velhos.

2- Não existe concordância verbal quando o verbo é transitivo indireto (verbo que exige uma preposição). Por exemplo, precisar e necessitar.

Assim:

Precisa-se de ajudante.  /  Necessita-se de ajudante.

Precisa-se de ajudantes.  /  Necessita-se de ajudantes.

Observação: “de” é uma preposição.

Os Lusíadas são ou Os Lusíadas é?

Quando o nome que só é usado no plural é nome de obra literária, a concordância do verbo pode ser feita:
1) segundo a regra gramatical (verbo no plural). Ex.: Os Lusíadas são um poema épico.
2) com a palavra “obra”, que se considera implícita (concordância ideológica). Nesse caso, o verbo fica na terceira pessoa do singular. Ex.: Os Lusíadas é um poema épico.

HOJE SÃO ou HOJE É?

Quando se trata de concordância com datas, o verbo ser concorda com o numeral ou com a palavra dia, que pode estar expressa ou subentendida.
Hoje são 13 de outubro.
Hoje é dia 13 de outubro.
Hoje é (dia) 13 de outubro.
Se a palavra dia estiver expressa, a concordância será feita obrigatoriamente com ela.
Hoje é dia 13 de outubro.
Existem gramáticos que defendem a concordância do verbo ser com o numeral. Outros afirmam que a concordância deveria ser sempre no singular, pois estaria subentendida a palavra dia. Se você não quiser entrar em discussões, use sempre a palavra dia e faça, com ela, a concordância do verbo ser.
Hoje é dia 13 de outubro.