Teoria Literária

Rimas: pobre, rica, rara, externa, interna, consoante, toante (ou assoante)

1- Rima pobre: quando as palavras rimadas são da mesma categoria gramatical (substantivo/substantivo; adjetivo/adjetivo).

Ex.: De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

(Vinícius de Moraes)

Nos versos acima, as palavras “pranto/espanto” e “bruma/espuma” são substantivos.

2- Rima rica: quando as palavras rimadas são de categorias gramaticais diferentes (substantivo/adjetivo; verbo/substantivo).

Ex.: Mas que na forma se disfarce o emprego
Do esforço: e trama viva se construa
De tal modo, que a imagem fique nua
Rica mas sóbria, como um templo grego.

(Olavo Bilac)

Nos versos acima, temos: “emprego/grego” (substantivo/adjetivo) e “construa/nua” (verbo/adjetivo).

Continuar lendo “Rimas: pobre, rica, rara, externa, interna, consoante, toante (ou assoante)”